3 de fevereiro de 2015

REGICÍDIO

O Regicídio de 1 de Fevereiro de 1908, ocorrido no Terreiro do Paço, marcou a História de Portugal, uma vez que dele resultou a morte do Chefe do Estado o Rei Dom Carlos e do seu filho e herdeiro, o Príncipe Real Dom Luíz Filipe,dando fim à última tentativa séria de reforma democrática da Monarquia Constitucional, dando origem a uma nova escalada de violência e instabilidade na vida pública do País, comandada a partir de Lisboa.
O atentado foi uma consequência da crescente tensão provocada pelos partidos políticos no clima político português.
Dois factores foram decisivos: primeiro, o caminho traçado desde cedo pelo Partido Republicano Português actuando para a corrosão do sistema partidário vigente e em segundo lugar, a tentativa de colocar o rei Dom Carlos como árbitro do sistema político, afim de equilibrar as finanças públicas degradadas por governos alternados dos maiores partidos na época e restabelecer a estabilidade governativa, no papel que ao Rei era atribuído pela Constituição, de solucionar os problemas do regime. Apoiando o Partido Regenerador Liberal de João Franco. (com objectivo de controlar as finanças e ordem pública formou-se um governo de forma ditatorial, com vigência por um período de dois anos, após o qual se regressaria eleições livres, onde as mulheres também votavam, o que deixou de acontecer na 1.ª republica, por serem católicas e por isso ligadas aos valores da monarquia).

NOTA: a seguir...
... em 1926 a desordem republicana era enorme. Instalaram uma ditadura fascista que durou 40 anos, para que o Dr Salazar pudesse colocar as finanças em ordem e impor disciplina no Pais proibindo os partidários.
... em 1974 a republica voltou a instalar um sistema democrático de cinco principais partidos, solução que sem uma Chefia de Estado realmente a partidária, conduziu o regime ao mais alto nível de corrupção europeia... para tentar evitar os efeitos da bancarrota tiveram de chamar uma "troika estrangeira"